Fórum PiR2
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.

os grandes caras que fizeram as coisas

Ir para baixo

os grandes caras que fizeram as coisas Empty os grandes caras que fizeram as coisas

Mensagem por BadLeprechaun Ter 03 Nov 2009, 12:47

(obs: vi isso num livro de cálculo, achei legal e resolvi colar aqui)

Newton

A maioria das pessoas está informada até certo ponto do nome e reputação de Isaac Newton, pois sua fama universal de quem descobriu a Lei da Gravidade não diminui por mais de dois séculos e meio desde sua morte.É menos conhecido, entretanto, que, dentre a imensa variedade de suas vastas descobertas, ele virtualmente criou a física moderna e, como consequência, tem tido uma influência mais profunda na direção da vida civilizada do que a simples ascensão e queda de nações.Aqueles em posição de julgar tem sido unânimes em considerá-lo um dos poucos intelectuais supremos que a raça humana produziu.

Newton é filho de uma família de fazendeiros no vilarejo de Woolsthorpe no norte da Inglaterra.Pouco se sabe sobre seus primeiros anos de vida, e como estudante de graduação em Cambridge ele não se destacou.Em 1665 uma epidemia de peste fez com que as universidades fechassem, e Newton retornou ao seu lar no interior, onde permaneceu até 1667.Lá, em dois anos de solidão rústica, dos 22 aos 24 anos de idade, seu gênio criativo explodiu numa torrente de descobertas não tradicionais na história do pensamento humano; as séries binomiais para expoentes negativos e
fracionários; cálculo diferencial e integral; a gravitação universal como chave do mecanismo do Sistema Solar; e a difreção da luz do Sol no espectro visual por meio de um prisma, com implicações para o entendimento das cores do arco-íris e da natureza da luz em geral.Já idoso ele comentou sobre seu milagroso período de juventude: "Naqueles tempos eu estava no melhor de minha idade para invetar e pensar em Matemática e Ciência, mais do que em qualquer outra época desde então"

Newton sempre foi um homem reservado e fechado, e na maioria das vezes guardou suas descobertas monumentais para si próprio. Ele não tinha nenhum grande desejo de publicar, e a maioria de seus grandes trabalhos teve de ser arrancada dele pela sua persuasão e persistência de seus amigos.Entretanto, sua habilidade incomum era tão evidente a seu professor, Isaac Barrow, que em 1669 Barrow renunciou a sua carreira de professor a favor de seu aluno ( um evento nunca antes assinalado na vida acadêmica ) , e Newton ficou em Cambridge nos 27 anos seguintes.Suas
descobertas matemáticas nunca foram realmente publicadas de forma conexa; elas ficaram conhecidas de modo limitado quase por acidente, por meio de conversas e respostas a perguntas colocadas a ele em correspondências.Ele parece ter considerado sua matemática centralmente como uma ferramenta importante para o estudo de problemas científicos, e com pouco interesse em si mesma.Ao mesmo tempo, Leibniz na Alemanha também criou o Cálculo independentemente;
e por sua ativa correspondência com os Bernoulli e o recente trabalho de Euler, a iderança na nova análise passou ao Continente, onde permaneceu por 200 anos.

Não se sabe muito sobre a vida de Newton em Cambridge nos primeiros anos de seu professorado, mas é certo que ótica e construção de telescópios estavam entre seus grandes interesses.Ele tentou muitas técnicas para manufaturar lentes ( usando ferramentas que ele mesmo fez ), e em 1670,aproximadamente, construiu o primeiro telescópio refletor, o ancestral dos grandes instrumentos, em uso hoje em dia em Monte Palomar e em todo o mundo.A pertinência e simplicidade de sua análise
prismática da luz do Sol marcou seu primeiro trabalho como um dos cãssicos da ciência experimental.Mas isso era somente o começo, pois ele foi cada vez mais longe nos mistérios da luz, e todos os seus esforços nessa direção continuaram a mostrar o gênio experimental da maior grandeza.Ele publicou algumas de suas descobertas, mas elas foram recebidas com tal estupidez contestatória pelos cientistas líderes da época que ele novamente se retirou para sua concha com uma resolução reforçada de aí para frente trabalhar somente para sua própria satisfação.Vinte anos mais tarde ele
se abriu com Leibniz nos seguintes termos: "Como ocorreu no fenômeno das cores...eu me convenci de que descobri a esplicação mais correta, mas eu me nego a publicá-la por medo de disputas e controvérsias que podem surgir contra mim por ignorantes"

No fim da década de 1670 Newton encontrou-se em um de seus períodos de falta de gosto pela Ciência,e dirigiu suas energias para outros campos.Como ele ainda não havia publicado nada sobre dinâmica e gravidade, então as muitas descobertas que ele fez nessas áreas continuaram em sua escrivaninha.No fim, entretanto, sob habilidosa persuasão do astrônomo Edmund Halley ( o que deu nome ao Cometa Hally ), ele dirigiu sua mente mais uma vez para esses problemas e começou
a escrever seu maior trabalho, os Principia

Tudo parece ter começado em 1684 com uma profunda conversação entre três homens num hotel em Londres - Hally e seus amigos Christopher Wren e Robert Hooke.Pensando na Terceira Lei de Kepler sobre o movimento planetário, Halley chegou à conclusão de que a força atrativa gravitacional, que mantém os planetas em suas órbitas, era provavelmente inversamente proporcional à distância ao Sol.Entretando, ele não pôde fazer mais com a idéia do que formulá-la como conjectura.
Mais tarde ( em 1686) escreveu:

'Encontrei Sir Christopher Wren e Mr Hooke, e, entrando em discussão sobre o assunto, Mr Hooke afirmou que sob aquele princípio todas as leis do movimento celestial deveriam ser demonstradas, e que ele mesmo as demostrara.Eu declarei o insucesso de minhas observações, e Sir Christopher, para encorajar o inquiridor, disse que ele daria a Mr Hooke ou a mim dois meses para levar-lhe uma demonstração convincente, e , além da honra, quem de nós o fizesse, teria como presente dele um
livro de 40 shillings.Mr Hooke então disse que ele a tinha, mas que ele a guardaria por algum tempo, de modo que outros, ao tentarem e não conseguindo, poderiam saber coom valorizá-la quando ele a publicasse; entretando eu me lembro que Sir Christopher estava pouco confiante que ele poderia fazê-la, e então Mr Hooke prometeu mostrá-la a ele.Eu ainda acho que naquele particular ele não foi tão bom quanto sua palavra'

Parece claro que Halley e Wren consideraram as afirmações de Hooke como simples ostentações vazias.Alguns meses mais tarde Halley encontrou uma oportunidade para visitar Newton em Cambridge, e colocou a ele a questão: "Qual seria a curva descrita pelos planetas sob a hipótese de que a gravidade diminuísse com o quadrado da distância? " Newton respondeu imediatamente:"Uma elipse". Com alegria e surpresa, Halley perguntou a ele como ele sabia aquilo. "Porque", disse Newton, "eu calculei". Não havia adivinhado, ou suspeitado, ou conjecturado, mas calculado.Halley queria ver os cálculos na hora, mas Newton não conseguiu achar os papéis.É interessante especular sobre as emoções de Halley quando ele viu que o velho problema de como funcionava o sistema solar fora enfim resolvido - mas que quem o resolvera não havia se importado em contá-lo a ninguém e ainda havia perdido os papéis.Newton prometeu escrever os teoremas e provas novamente e enviá-los a Halley, o que ele fez.No decorrer do cumprimento de sua promessa ele retomou seu próprio interesse pelo assunto, tendo prosseguido e alargado grandemente o
alcance de suas pesquisas

Em seus esforços científicos Newton, de algum modo, parece um vulcão ativo, com longos períodos de quietude, interrompidos de tempos em tempos por erupções massivas de atividade quase sobre humana. Principia foi escrito em quase 18 inacreditáveis meses de total concentração e, quando foi publicado em 1678, foi imediatamente reconhecido como uma das aquisições supremas da mente humana.É ainda universalmente considerado como a maior contribuição para a ciência feita por um homem.Nele ele colocou os proncípios básicos da mecânica teórica e da dinâmica dos fluidos; deu o primeiro tratamento matemático do movimento ondulatório;
deduziu as leis de Kepler da lei de gravitação do inverso do quadrado, e explicou as
órbitas dos cometas; calculou as massas da Terra, do Sol e de planetas como satélides; defendeu a forma achatada da Terra e usou isto para explicar a precessão dos equinócios, funcou a teoria das correntes.Esses são apenas poucos dos esplendores de seu trabalho extraordinário.Principia tem sempre sido um livro difícil de se ler, pois o estilo tem uma qualidade não humana de frígida distância, a qual é talvez apropriada à grandeza do tema.
Também, a Matemática densamente empacotada consiste quase que inteiramente em
Geometria clássica, pouco cultivada então e ainda menos agora. Em sua dinâmica e
mecânica celestial, Newton conseguia a vitória para a qual Copérnico, Kepler e Galilei
tinham preparado o caminho.Essa vitória foi tão completa que os maiores cientistas nesses campos nos dois séculos seguintes conseguiram produzir pouco mais que notas de notas de rodapé à síntese colossal.É tembém digno lembrar nesse ocntexto que a ciência do espectroscópio, mais do que nenhuma outra, tem sido responsável pela extensão do conhecimento astronômico sobre o Sistema Solar para todo o Universo, e teve sua origem na análise espectral de Newton da luz do Sol.

Depois do aparecimento do poderoso gênio que se manifestou na criação dos Principia, Newton novamente afastou-se da ciência.Entretando, numa famosa carta a Bentley, em 1692, ele deu a primeira especulação sólida de como o Universo de estrelas poderia ter-se desenvolvido a partir de uma nuvem de poeira cósmica inicial:

'Parece-me que, se a matéria de nosso Sol e planetas e toda a matéria no Universo foi uniformemente espalhada em todos os céus, e toda partícula tinha uma inata gravidade em relação a todas as outras... algumas delas se juntariam em uma massa e algumas em outra, como a fazer um número infinito de grandes massas espalhadas, com grandes distâncias de uma para outra, emtodo o espaço infinito.E então poderiam o Sol e as estrelas fixas serem formadas, supondo que a matéria seria de uma natureza lúcida.'

Este foi o começo da Cosmologia científica, que mais tarde conduziu, por meio das idéias de Thomas Wright, Kant, Herschel e seus sucessores, à elaboração de uma teoria convincente da natureza e origem do Universo dada pela Astronomia do séc XX

Em 1693 Newton sofreu uma doença mental grave acompanhada de desilusão, melancolia profunda e sentimento de perseguição.Ele reclamava de não poder dormir e dizia que lhe faltava 'sua anterior consistência de pensamento' Ele escrevia, usando palavras violentas e fortes, acusações selvagens em cartas chocantes a seus amigos Samuel Pepys e John Locke.Pepys foi informado de que a amizade deles havia terminado e que Newton não o veria mais; Locke foi acusado de tentar
envolvê-lo com mulheres e de ser um hobbista ( um seguidor de Hobbes, isto é, um ateísta e materialista ). Os dois homens sentiram temores pela sanidade de Newton.Eles responderam com cuidado e sábia humanidade, e a crise passou.

Em 1696 Newton deixou Cambridge indo para Londres, para tornar-se diretor ( e logo mestre ) da Casa da Moeda, e durante o restante de sua longa vida ele entrou um pouco na sociedade e começou inclusive a gostar de sua posição no topo da fama científica.Essas mudanças em seus interesses e ambiente não acarretaram nenhuma decadência em seus incomparáveis poderes intelectuais.Por exemplo, no fim de uma tarde, depois de um dia difícil na casa da moeda, ele ouviu sobre um então
famoso problema que o cientista suíço John Bernoulli havia colocado como desafio 'aos matemáticos mais agudos do mundo inteiro'. O problema pode ser enunciado como se segue: 'Suponha que dois pregos são martelados ao acaso em uma parece, e que o prego superior seja conectado ao inferior por um arame flexível na forma de uma curva lisa.Qual a forma do arame no qual uma gota deslizará (sem atrito) sob a influência da gravidade, para passar do prego superior ao inferior no menor tempo possível?' Este é o problema da braquistócrona ( tempo mais curto) de Bernoulli.
Newton encarou imadiatamente como um desafio a ele, de todos os matemáticos do Continente;e mesmo estando afastado do hábito de pensar em ciência, juntou seus recursos e resolveu o problema naquela mesma noite antes de ir se deitar.Sua solução foi publicada anonimamente e,quando Bernoulli a viu, observou ironicamente 'Eu reconheço o leão por suas garras'

A publicação de sua Opticks, em 1704, teve grande significado para a Ciência.Nesse livro ele colocou em conjunto e estendeu seus trabalhos anteriores sobre luz e cor.Como apêndice, suas famosas 'indagações' ou especulações para o futuro em áreas de Ciência que estavam além de sua compreensão.Em parte as Indagações relatam sua eterna preocupação com a Química( ou alquimia, como era então chamada ).Ele chegou a muitas conclusões experimentais mas excessivamente cuidadosas sobre a provável natureza da matéria; e embora o teste de suas
especulações sobre átomos ( e mesmo núcleos ) tivessem de aguardar o trabalho experimental fino do fim do séc XIX e começo do XX, ele estava absolutamente correto no esboço de suas idéias centrais. Assim, também nesse campo da ciência, no pródigo alcance e na precisão de sua imaginação científica, ele foi muito mais longe, não somente de seus contemporâneos mas tembém de muitas gerações de seus sucessores.Mais ainda, ressaltamos duas surpreendentes observações de Indagaçoes 1 e 30, respectivamente: 'Os corpos não agiriam sobre a luz à distância, e por suas ações inclinariam seus raios?' e 'Não são corpos rígidos e luz convertidos um no outro?' Parece tão claro que Newton pode estar conjecturando a distorção gravitacional da luz e a equivalência de massa e energia, que são as consequências primordiais da Teoria da Relatividade. O primeiro fenômeno foi observado pela primeira vez durante o eclipse solar total de maio de 1919, e o outro é agora sabido estar na base da energia gerada pelo Sol e pelas estrelas.Em outras ocasiões ele parecia ter sabido tão bem, por alguma intuição misteriosa, muito mais do que ele queria ou podia justificar, como nessa sua sentença numa carta a um amigo 'É claro para mim pela fonte que eu utilizo, mas não me comprometo a prová-la a outros'. Não importa a natureza dessa 'fonte' - ela é indubitavelmente dependente de seu extraordinário poder de concentração.Quando indagado sobre como fez suas descobertas,ele respondeu: 'Eu tenho o assunto constantemente diante de mim e espero até que as
primeiras madrugadas se abram pouco a pouco na luz total'.Isto parece bastante simples, mas todos com experiência em Ciência ou Matemática sabem quão difícil é ter um problema continuamente na cabeça por mais de alguns segundos ou alguns minutos.Nossa atenção dispersa-se; o problema repetidamente vai embora e repetidamente tem que ser retomado com grande forca de vontade.Pelo que dizem as testemunhas, Newton parece ter sido capaz de, quase sem esforço, manter-se concentrado em seus problemas por horas, dias e semanas,mesmo com necessidade de se alimentar e dormir ocasionalmente e interrompendo muito pouco a atividade de sua mente.

Em 1695 Newton recebeu uma carta de seu amigo matemático de Oxford, John Walls, com notícias que anuviaram o resto de sua vida.Escrevendo sobre as primeiras descobertas de Newton em Matemática, Walls o alertou de que na Holanda 'suas noções' eram conhecidas como 'Calculus Differentialis de Leibniz' , e o aconselhou a tomar com urgência atitudes para proteger sua reputação.Naquele tempo as relações entre Newton e Leibniz eram ainda cordiais e de respeito mútio.Entretanto, a carta de Walls logo deteriorou a atmosfera, e iniciou a mais prolongada, amarga e danificadora de todas as disputas científicas: a famosa ( ou infame ) controvérisia Newton-Leibniz sobre a prioridade da invenção do Cálculo.

Hoje está bem estabelecido que cada um desenvolveu sua própria forma de Cálculo,independentemente, e que Newton foi o primeiro 8 ou 10 anos, mas não publicou suas idéias,e que os artigos de Leibniz de 1684 e 1686 foram as primeiras publicações da área.Entretanto, o que é agora aceito como simples fato não era nada claro naquele tempo.Houve inúmeras rusgas por muitos anos depois da carta de Walls, enquanto a tempestade desabava.

O que começou como leve insinuação, rapidamente passou para ásperas denúncias de
plágio de ambos os lados.Incentivado por seguidores ansiosos para obter reputação a sua custa, Newton permtiu-se ser atirado no centro da querela e, uma vez que seu temperamento fora eriçado por acusações de desonestidade, seu ódio estava acima de seu constrangimento.
A conduta de Leibniz na controvérsia não foi afável, mas mesmo assim foi fraca diante da de Newton.Embora nunca aparecesse em público, Newton escreveu a maioria das cartas publicadas em sua defesa em nome de jovens que nunca objetaram.Como presidente da Sociedade Real, ele nomeou uma comissão 'imparcial' para investigar o assunto, escreveu secretamente o relato oficialmente publicado pela sociedade ( em 1712) e o revisou anonimamente na Philosophical Transactions. Nem a morte de Leibniz foi capaz de aplacar a ira de Newton, que continuou a perseguir o inimigo já na sepultura.A batalha com Leibniz,a necessidade irreprimível de eliminar a acusação de desonestidade, dominaram os 25 anos finais da vida de Newton.Quase todos os artigos desses anos sobre qualquer assunto são interrompidos por um parágrafo furioso contra o alemão, enquanto ele afiava os instrumentos de sua fúria cada vez mais inteligentemente.

Tudo isto foi suficientemente ruim, mas o efeito desastroso da controvérsia na Ciência e na Matemática britânicas foi muito mais sério.Tornou-se assunto de lealdade patriota para os ingleses usar os métodos geométricos de Newton e as confusas notações do cálculo e desprezar o trabalho melhor iniciado que estava sendo desenvolvido no continente.Entretanto, os métodos analíticos de Leibniz provaram ser mais frutíferos e efetivos, e foram seus seguidores os espíritos inovadores no mais rico período de desenvolvimento na história da Matemática.O que foi chamado de 'o grande mau humor' prosseguiu; para os ingleses, o trabalho dos Bernoulli, Euler, Lagrange, Laplace, Gauss e Rieman ficaram em um livro fechado; e os matemáticos ingleses se afundaram em uma coma de impotência e irrelevância que ocupou a maior parte dos séculos XVIII e XIX

Newton tem frequentemente sido considerado e descrito como o cúmulo do racionalismo, a encarnação da Idade da Razão. Sua imagem convencional é a de um professor digno, mas tolo e distraído numa estúpida peruca empoeirada.Nada poderia ser mais longe da verdade.Aqui não é o lugar de discutirmos ou tentarmos analisar sua inflamável e psicótica raiva, ou seus ódios vingativos monstruosos que não se extinguiram com a morte de seus inimigos e que prosseguiram com toda a força até o fim de sua vida, ou os 58 pecados que ele listou em sua confissão particular escrita em 1662 ou sua reservada e encolhedora insegurança.E o que faremos com os esboços de manuscritos não publicados ( milhões de palavras e mil horas de pensamento!) que refletam seus estudos secretos durante toda a sua vida sobre
cronologia anciã, sobre as primeiras doutrinas cristãs e sobre as profecias de Daniel e
São João? O desejo de Newton de saber teve pouco em comum com o racionalismo
esmagador do século XVIII; ao contrário, era a forma desesperada de auto-preservação contra as forças negras que sentiu estarem realizando muita pressão sobre ele.Como pensador original em Ciência e matemática ele foi um gênio estupendo, cujo impacto sobre o mundo pode ser visto por todos, mas como homem ele era tão estranho em todos os aspectos que qualquer pessoa normal pouco poderia entendê-lo.É talvez mais exato pensar nele em termos medievais - como um devoto, solitário, místico intuitivo para quem a Ciência e a Matemática eram meios de desvendar o enigma do Universo.
BadLeprechaun
BadLeprechaun
Jedi
Jedi

Mensagens : 411
Data de inscrição : 25/09/2009
Idade : 34
Localização : Fortaleza - Ceará

Ir para o topo Ir para baixo

Ir para o topo


 
Permissões neste fórum
Você não pode responder aos tópicos