(ENEM) Um médico está estudando um novo medicamento que combate um tipo de câncer em estágios avançados. Porém, devido ao forte efeito dos seus componentes, a cada dose administrada há uma chance de 10% de que o paciente sofra algum dos efeitos colaterais observados no estudo, tais como dores de cabeça, vômitos ou mesmo agravamento dos sintomas da doença. O médico oferece tratamentos compostos por 3, 4, 6, 8 ou 10 doses do medicamento, de acordo com o risco que o paciente pretende assumir.
Se um paciente considera aceitável um risco de até 35% de chances de que ocorra algum dos efeitos colaterais durante o tratamento, qual é o maior número admissível de doses para esse paciente?
A) 3 doses.
B) 4 doses.
C) 6 doses.
D) 8 doses.
E) 10 doses.

Não consigo entender o porquê de utilizar a probabilidade do evento complementar nesse tipo de exercício. Vi a resolução em um site, mas não compreendi. Se há 10% de risco de ocorrer os efeitos colaterais, há 90% de não haver tais efeitos e a partir disso o cálculo foi desenvolvido. Só queria saber por que não é correto utilizar a probabilidade do evento "principal" na resolução, ou seja, os 10%. A quem puder tirar essa dúvida, agradeço muito.